Sobre sentir

Captura de Tela 2015-06-28 às 22.57.36Sentir não carece de complicação e se precisar, vai por mim, não vale a pena.

Enredos labirínticos só são bonitinhos em filmes de comédia romântica onde o telespectador sabe que o desfecho será ok e toda a angústia e dor da personagem foi recompensada. Se esse não for esse o seu caso, amar ou o caminho que te leva a isso não deve significar agonia ou incerteza o tempo todo.

A vida já é complicada demais para mais um fardo pesar no ombro sem nenhuma garantia. Sentir algo por alguém é – ou deveria – ser o alívio dos problemas e um colo para anestesiar as pancadas que a vida costuma dar.

As vezes a vontade de ter alguém do lado acaba levando as pessoas que não deveriam a ocupar o posto de namorado, ficante ou pessoa-que-eu-tô-gostando.

Mas oh: a dor de sofrer por alguém é bem pior que a da solidão.

O baixo e o papel

 texto sem nome ainda

Eu sempre ajeitei meu cabelo na hora que você caminhava a minha frente no seu andar despojado e exibido. Sempre achei que fosse um pouco de marra, sabe? Você dava três passos para em seguida virar seu pescoço e me olhar nos olhos, enquanto eu dava risada e você sorria emburrado. Costumava ainda, depois da sexta aula, ouvir sua banda tocar e me apaixonar pela voz do vocalista. É, eu sei que você toca baixo, mas a voz dele me faz delirar.

Alias, lembra daquele show que eu fui só para te ver? Acho que foi surpreendente para você. Para mim também foi. E a parte mais engraçada é que eu odeio surpresas. Até para mim mesma. Mas essa eu gostei. Aquele show foi o começo de tudo… Adoro começos concretos. Acho que o joguinho pré-começo-da-nossa-historia me cansa. Me diverte um pouco… Mas eu tinha vontade de te conhecer. Conversar com você. Sentir seus lábios. Sentir você. Pensava (secretamente) como era seu abraço, como era seu sorriso apaixonado (já conhecia o emburrado) e como era ver seus olhos mais de perto. Essas preliminares me faziam dormir um pouco mais tarde a noite. Como uma (pseudo) escritora que sou, desenrolava fatos para a nossa futura história.

Não foi nada de como eu imaginei… Talvez foi melhor assim. Me surpreender de novo. E dessa vez foi melhor… Seu beijo foi melhor do que eu imaginava. Seu abraço também. Seu colo também. Suas conversas. E seu sorriso apaixonado dizendo o primeiro eu te amo. E a primeira musica dedicada. Talvez eu acorde ainda desse sonho maluco de prever o futuro quase incerto. Enquanto isso, fico criando histórias, reinventado uma história de amor… Sabe como é. Eu transformo sonhos em textos. Você em musica. Talvez as duas se cruzem por ai.

Defeitos e você

defeitos e voce

Quando ilusão, mentira e dissimulação me vem a mente, meu cérebro me remete a você. Defeitos, milhões deles. Você. Não que eu não tenha algum… sou cheia deles, mas nenhum me desqualifica tanto quanto os seus. Talvez o pior deles é a frieza que percorre suas veias e congela seu coração. Aquele mesmo coração que a tempos atrás eu acreditava fazer parte. Aquele mesmo que você dizia que batia mais forte quando estava comigo. Aquele mesmo que eu pensava que existia… Me enganei. O motivo? O de sempre. Tentar encontrar o lado bom. Devia ter acreditado na intuição (sempre ela) quando seus olhos demonstravam outra coisa. Deveria ter percebido. Não Percebi. E Agora já está feito. Passado com gosto de arrependimento. E um coração quebrado para contar a história.

Cem por cento

textocemporcento

Nunca consigo ser cem por cento. Você consegue entender? Ás vezes encho meu peito de orgulho por ser quem eu sou, por ter as minhas convicções tão complicadas de entender, por vestir o que eu visto, por pensar do jeito que eu penso. Passam-se vinte minutos e me perco totalmente as essas afirmações que eram tão nítidas aqui dentro de mim. Começo a até detestar tudo que está no meu guarda roupa… E o pior: Só porque vi algum tweet, foto ou publicação na timeline de alguém no facebook. É tão difícil entender? Não sei se isso é um pouco de mim, ou se é um pouco da adolescência, ser tão cheia de duvidas… E duvidas que não são duvidas, porque apresento-lhe logo a solução: Quero ser um pouquinho de tudo, a todo tempo.

#escrevinaviagem

 Bem… Não aguentei ficar sem escrever! Eu fiz alguns textinhos na viagem, e para vocês diferenciarem e eu lembrar no futuro, a criei. Espero que vocês aprovem! 

12344

Sabe, saber que talvez alguns momentos nunca mais vão ser relembrados me deixa com uma angústia que brota no estômago e vai até o coração. Como por exemplo, mais cedo e eu vi um casal com um estilo despojado e indie desenhando as obras inacabadas de Michelangelo. Se eu não escrevesse isso, provavelmente essa imagem teria se esquecido com o passar do tempo. Ou minha mãe agora apagando-acendendo-apagando-acendendo a luz aqui no quarto. Sei que agora isso possa ser uma vírgula na minha história, mas no futuro eu sei que sentir saudade até desses momentos. Queria poder ter um espaço para tudo: Sons, gestos, olhares, toques, cheiros, manias… Queria me lembrar de todos os pedaços da minha história que se perderam no caminho.

E se?

Imagem

Decidi, depois do pseudo apocalipse parar de ser tão… previsível. Parei, por algum tempo, para pensar minhas atitudes, e algumas não condizem com o que eu quero. Sabe, sempre tentei fazer as coisas de um jeito, e não estão dando certo. Vou tentar fazer as coisas erradas dessa vez, e me surpreender e ver se sai alguma coisa positiva.

Cansei de jogos, brincadeiras, cansei de esperas. Cansei de ficar cansada. Quero correr atrás, quero lutar, e quero conseguir. E vou ralar o que for preciso para isso.

Eu vou ser diferente. Vou ser a história, vou inspirar alguém. Vou parar de ver o lado negativo de tudo, e começar a ver qualquer rastro de bondade que exista. Talvez eu quebre a cara, mas vou ter a certeza que fiz meu melhor, e agi da melhor maneira. Vou parar de ter vergonha de mostrar quem eu sou, de fingir quem eu sou. Vou parar de fazer planos mirabolantes que só vão acontecer daqui um ano, e vou fazer o presente acontecer. Vou ter história para contar. Vou viver.