Instante

E lá estava, imóvel. Era difícil imaginar como um brincalhão e hiperativo como ele, poderia permanecer tão concentrado. Seus olhos se encontravam com o meu, e nesse instante tudo desaparecia. Aquele olhar. Os olhos cor de mel, o motivo do meu pouco, quase nulo, entendimento sobre o que é amar. E o motivo da minha insônia. Passava horas rolando na cama, com meu fone de ouvido no volume máximo na inútil tentativa de tentar desviar meus pensamentos para o futuro que eu não queria que acontecesse.

A notícia veio por telefone: “Amor, passei no vestibular, eu consegui!” Em meio a choro, sorrisos, comemorávamos devido ao esforço que ele havia feito pelo seu sonho, a ficha caiu: Medicina em uma das faculdades mais concorridas do país. O problema? 900 km que separam a faculdade da cidadezinha interiorana em que moro. 900 km que afastam do meu pedacinho de conto de fadas, de porto de seguro, da minha felicidade.

Malas despachadas, e o anúncio de embarque final. Seus lábios…beijo exigente, melancólico, beijo de despedida…abraço apertado,  e um eu te amo sussurrado selava assim a experiência do meu primeiro amor.