Passado

'textinho

Ela olhava aquela caixa de madeira pequena com lágrimas nos olhos. Procurava ansiosamente um pedaço da sua adolescência em papel branco com linhas azuis, enquanto se deparava com fotos, cartas, colares e pulseiras. Parava por um só instante para tomar um pouco de ar em meio a tanta choradeira e voltava a remexer cuidadosamente (mas afobada) em busca do seu tesouro. Pronto. Lá estava. O bendito. Abria com cuidado o papel amarelado tomando cuidado para não rasgar o que permanecia intacto por quase dez anos.

12/01/2010
Oi… É estranho conversar com um pedaço de papel, principalmente sabendo que só vai ser lido por mim mesma. Talvez no futuro eu dê risada, mas agora me sinto uma idiota por escrever sobre o que eu faço com treze -quase catorze – anos. Conversei com ele hoje e me senti – veja só – uma idiota. Me diz porque uma pessoa que demonstra tanto interesse nunca vem falar comigo, e só eu com ele? Eu queria poder entender, mas toda vez que eu toco no assunto, a resposta é confusa, e me deixa ainda mais… apaixonada. Sim, eu sei que não deveria, mas gostar de um garoto mais velho me deixa assim. Eu prometo para mim mesma esquecer mas toda vez que a janela do msn pisca meu coração se derrete… e junto com ele minha inteligência de participar dos joguinhos. Ele pisa em mim e ainda quero mais.

Queria poder pensar o final dessa história, mas até hoje não sei. Depois conto o final dessa história. Mas posso adiantar que não termina bem, e desde então nunca mais vi o dito cujo.

Oi…

Imagem
… Talvez eu seja uma covarde, mas escrever essas palavras para você é muito mais simples do que olhar em seus olhos e tentar abrir meu coração.

Nesses últimos anos eu tinha alguém que possuía meu coração, e fazia o que bem queria com ele. Nesses últimos anos, aprendi o que é ouvir uma música da Taylor Swift e lembrar de você. Assistir uma comédia romântica e pensar um jeito de aquele enredo se adaptar ao nosso. Soube o que é ver um casal apaixonado, e querer você aqui do lado. O que é estar no frio, querendo seu corpo junto ao meu para me aquecer.

Sabe o que mais eu descobri? Que decepção não tem significado. É muito difícil tentar definir. Não tem forma, cheiro, gosto. É um vazio no peito, uma dor incessável no coração, e sua consciência martelando duas palavras: Eu avisei.

Mas se você quer saber, eu não me arrependo. Acredito quando dizem que há males que vem para o bem. E essa desgraça que você causou em mim, diferentemente do que você pensa, não me deixou caída. Talvez por algum tempo. Mas não mais. Agradeço a todas as mentiras, beijos sem sentimentos, declarações falsas, e até as lágrimas caídas. Tudo tem sua primeira vez, e aqui foi a minha de me iludir com um cara.

E eu não sinto pena por você perder alguém como eu…Não sou nenhuma top model, nenhuma musa, mas eu era sincera e gostava de você. Do que eu sinto pena é de que você não é homem o bastante para lidar com seus problemas, de você ser apenas um menininho mimado que não merece nenhuma mulher por ai.