Castanho-claro-quase-verde

Imagem

Quando eu me perco no abismo dos meus pensamentos, sentimentos e dúvidas, eu miro bem no fundo dos seus olhos. O castanho-claro-quase-verde que me salva em meio o furacão de incógnitas me faz esquecer por horas as incertezas mais profundas aqui dentro da minha cabeça.

O poder – ou magnetismo – da paz que você transmite não consigo em nenhum outro lugar. Nem na maior dose de tequila do bar, nem no abraço das minhas amigas, nem horas ouvindo minha banda favorita. Só com você. Seu abraço, seu beijo, seu corpo, seu amor.

Consigo imaginar você do meu lado sempre. Dormindo de conchinha enquanto o mundo desaba janela a fora e nosso pedacinho de paz cria uma muralha em volta de qualquer energia negativa. Consigo imaginar, fechando meus olhos, a sua respiração calma e mansa do seu sono do meu lado, e sorrio discretamente agradecendo por ter você.

Quase

Ás vezes a ficha demora décadas para cair, mas finalmente cai! Mudar é tão difícil, começar um percurso então? É quase impossível. O quase. Essas cinco letrinhas que pode mudar seu, desculpe o pieguismo, rumo, sua vida. Pelo menos para mim. Me vejo presa a metas inacabadas faz muito tempo, e sem força nenhuma para mudar o que me incomoda, e me deixa tão mal. A “ficha” já caiu assim algumas vezes, e nessas vezes também achei que ia ser pra valer… e não foi. Mas agora eu parei de culpar os outros pelos meus fracassos, e descobri quem estava me atrasando: Eu mesma. Admitir o próprio erro é tão chato, e tão “tô crescendo”… Era tão bom sempre culpar alguém! Quando você começa a admitir seu próprio erro, começa a apertar. O percurso vai ser uma merda, um saco! Estressante, emocionalmente desgastante, vontade de desistir, de continuar como estar, e ver o lado positivo do passado e nenhum do momento agora. Mas que seja momentâneo! Que as dores seja cicatrizadas! Que o memento de angustia seja lembrado quando já estivermos no topo… cansada, dolorida, mas VITORIOSA. Como é boa a sensação de vencer um desafio. Me proponho a vence-lo. Acho que o primeiro passo é admitir que não vai ser fácil. Mas nada é… então vamos lá.
Quando eu disse que queria ter algo para me orgulhar, aquilo ficou martelando na minha cabeça. Então porque não matar dois coelhos com uma cajadada só? Talvez seja as soluções para as minhas incertezas filosóficas…E as soluções para noites mal dormidas também. Meu sono agradece!