Dentro de mim

dentro de mim

De repente não quero mais ser eu mesma. Desligar dos meus sentimentos me faria melhor. Muito melhor. Essas noites que passaram foram longas… até demais. Custaram meu sono. Meus pensamentos falavam tão alto que nem o the kooks no volume máximo conseguiram silenciar. Queria o silêncio. Para variar um pouco. Meu coração e minha mente. É tanta coisa e em tão pouco tempo para resolver. Eu penso demais e sinto demais. E nem sei mais responder se essa intensidade que existe aqui dentro é qualidade ou defeito.

Será?

 Roubei esse texto do meu caderno de pensamentos, do dia 24 de agosto.

Me diga, o que há de trás desse sorriso, desses olhos, que me encantam tanto, diz? Se você olha por – apenas -olhar, ou se existe mesmo esse magnetismo, essa faísca… Será psicose minha? Sou uma louca? Devo ser. Perguntas demasiadas para tão poucas respostas. É isso que você faz comigo. Me confunde.

 Será que tudo que passa pela minha cabeça no momento em que nossos olhares se cruzam, podem se concretizar? Diz que sim, pra tudo, pra mim.