Adivinha quem voltou!

Imagem

É, estou muito feliz de voltar com a rotina de blogueira. Bem, como eu disse, o diário de bordo vai sim ter um espacinho aqui no blog, como os meus textos. Acho que nunca contei isso aqui no blog, mas eu tenho um caderno em que escrevo tudo quando estou fora dos teclados, e nele enchi umas 30 páginas nessa viagem. Seja com pensamentos, desenhos ou histórias. Então se preparem para muito conteúdo. Nessa madrugada eu volto a ativa porque agora eu preciso dormir. Horas e mais horas de avião acabam com qualquer um. E ah, muito obrigado pelos tweets sentindo minha falta… Vocês são as melhores!

Filme

Eu, aprecio muito arte. E para mim, arte está em qualquer lugar… Até naquela ruazinha sem nada. E filme é pura arte! Seja no figurino, no cenário, nas falas, na capa, ou até em um detalhe, respiramos arte! E hoje vou falar de um filme que eu amo de paixão: O fabuloso destino de Amélie Poulain! Já assistiram?

É um filme muito aclamado, com cinco indicações ao Oscar, ganhou o Globo de Ouro, Bafta… Além de muitos outros!

O filme conta a história de Amélie – Ah vá! -, que viveu a infância inteira isolada de outras crianças, porque seu pai pensava que havia um problema no seu coração, que batia muito rápido. Mal sabia ele, que ela ficava ofegante quando seu pai ia fazer os exames, sendo aquele momento, o único em que o pai tinha contato físico com ela. Ela cresce, vai morar sozinha, em um apartamento, e lá, encontra uma caixa de infância de um antigo morador, e curiosa, decide encontrar o dono e entregar-lhe anonimamente de volta. Ela fica emocionada com a reação do sujeito, e a sensação que ele proporciona, e decide fazer gestos alheios. A cena do cego é emocionante.

O filme é francês, com trilha sonora apaixonante!